Gastronomia é património cultural

A sopa, considerada por muitos pesquisadores como o prato mais antigo do mundo, mesmo antes da descoberta do fogo, é um prato fundamental na gastronomia portuguesa.

Estudada por profissionais de saúde e especialistas em nutrição, acarinhada pelo património cultural e defendidas pelas recém criadas Confrarias das Sopas, desde o início teve lugar de destaque nas nossas Festas Populares.

Em 1997, na 1ª edição das Festas Populares, a sopa caramela foi confeccionada pela equipa do Ensino recorrente, grupo que, desde o início, se tornou o grande promotor da cultura caramela.

Em 1998 já foi o Grupo Folclórico Danças e Cânticos dos Olhos de Agua que, de corpo e alma, continuou a confeccionar as sopas através da perícia das mulheres que a ele pertencem. Nos anos seguintes foram convidados todos os Ranchos Folclóricos da Freguesia para o desafio: fazer da nossa sopa um prato autóctone, uma iguaria de referência, que viesse a competir com outras especialidades regionais no espaço destinado à gastronomia. Tornou-se então obrigatório provar todas as sopas, pois cada Rancho tem a sua maneira própria de a confeccionar. Assim, a sopa caramela tornou-se rainha e passa a ser servida em originais tigelas de barro que, em cada ano, assumem formatos diferentes. O êxito foi extraordinário, com a sopa caramela a esgotar diariamente.

Receita sopa Caramela

(gentilmente cedida por Maria Júlia Oliveira do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Pinhal Novo)

Ingredientes:

  • 250g de feijão catarino
  • 250g de pá de porco
  • 100g de toucinho entremeado
  • 1 chouriço de carne
  • 1 morcela
  • 1Kg de repolho
  • 100g de batatas
  • 1 couve
  • 2 nabo
  • 1 cebola
  • 1 cenoura
  • 3 dentes de alho
  • 1 molho de coentros
  • 100g de massa de cotovelinhos
  • Azeite q.b
  • Banha q.b
  • Sal q.b

Preparação:

Ponha o feijão de molho de um dia para o outro. No próprio dia lave o feijão e leve a cozer em água juntamente com a carne, os enchidos, a cebola, os dentes de alho, o azeite e o sal. Quando as carnes e os enchidos estiverem cozidos tire-os e corte-os em bocados. Triture grosseiramente metade do feijão, junte mais água se for necessário e misture as hortaliças, a cenoura, o nabo, as batatas cortadas em cubinhos e a banha. Deixe cozer lentamente. Quando as hortaliças estiverem quase cozidas junte a massa e deixe cozer um pouco mais. No final tire a panela do lume, junte as carnes cortadas e os coentros picados e sirva, de preferência em tigelas de barro, á boa maneira caramela.
Agora só falta experimentar, para sentir o gosto na boca e os benefícios no corpo da boa comida portuguesa.

Bom apetite!